Fiocruz comemora Dia Internacional da Biodiversidade no campus Mata Atlântica com seminário, trilha na mata e visita a horto

Foto: Lin Lima/Fiocruz Mata Atlântica
Agência Brasil repercute evento que aconteceu dia 22/5 em Jacarepaguá, numa área de preservação ambiental onde está o Campus Fiocruz Mata Atlântica, no Rio de Janeiro. Objetivo foi receber pesquisadores, docentes e estudantes do Ensino Médio com programação que proporcionou olhar ampliado sobre biodiversidade e saúde.
A coordenadora nacional da Obsma Cristina Araripe foi mediadora das palestras.

 

Fonte: Agência Brasil

Alunos do ensino médio na rede pública do Rio de Janeiro conheceram hoje (22) projetos de replantio e preservação da biodiversidade no Campus Mata Atlântica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), no Parque Estadual da Pedra Branca, zona oeste do Rio de Janeiro. Entre os temas debatidos com pesquisadores da fundação estiveram o impacto que as ameaças à biodiversidade têm sobre a saúde humana.

A pesquisadora Cristina Araripe, especialista em saúde pública, explica que a preservação dos ecossistemas também é importante para a prevenção de doenças na região. Cristina mediou o Seminário Biodiversidade e Saúde, que foi feito em comemoração ao Dia Internacional da Biodiversidade.

"Existe uma relação direta entre a biodiversidade do parque e a saúde. Temos populações que habitam a região limite do parque e uma preocupação grande com vetores como o Aedes [aegypti] e os que transmitem a leishmaniose," disse.

Causada por um protozoário, a leishmaniose é uma doença transmitida por mosquitos e costuma ser registrada na proximidade de matas e morros. Já o Aedes aegypti é o vetor das arboviroses zika, dengue e chikungunya.

Os estudantes convidados eram da Escola Estadual Brigadeiro Schorcht, vizinha ao campus da Fiocruz. Eles participaram de atividades no Horto Escola da fundação e fizeram uma trilha para conferir o replantio de plantas nativas.

"É um trabalho de promoção da saúde. Esta é uma floresta urbana que se encontra relativamente preservada, mas que sofre muita pressão," disse Cristina Araripe.

Além da atividade com os cerca de 80 estudantes, o evento contou com palestras voltadas à comunidade científica, como a sobre biossegurança no trabalho de campo em pesquisas científicas. "A ideia foi fazer um seminário voltado não somente para o público interno, mas para colegas de outras instituições e população do entorno", explicou a pesquisadora.

Confira o álbum de fotos no Facebook
Veja mais fotos da comemoração (clique para ampliar):

 

Galeria de Fotos: 
  • mai 23 2017