'Oswaldo Inspira' lança novos conteúdos sobre o cientista

Fonte: Agência Fiocruz de Notícias

Os legados de Oswaldo Cruz são muitos. O controle das epidemias de febre amarela, varíola e peste bubônica. O estabelecimento da vacinação como uma prática de rotina no país. O Instituto Oswaldo Cruz e a Fiocruz. A nacionalização da ciência médica. O nome e a figura de Oswaldo são tema obrigatório nos livros de história. Foram objeto de biografias, prêmios, cédulas, selos e até composições musicais – da ópera ao enredo de escola de samba. Não há sequer uma capital de estado brasileira sem uma rua, praça ou serviço público que leve seu nome. A data de 5 de agosto foi definida como Dia Nacional da Saúde em homenagem ao seu nascimento, num exemplo da personificação, que se tornou, da própria saúde no país. A sessão Herança do hotsite Oswaldo Inspira: 100 anos sem Oswaldo Cruz (1872-1917) mostra como, mesmo um século após a sua morte, Oswaldo segue como inspiração para gerações de brasileiros. No espaço, vídeos trazem relatos curiosos: pessoas que vivenciam o Instituto Oswaldo Cruz de hoje falam das suas impressões sobre o cientista e trabalhadores e estudantes contam como reagiriam a oportunidade única e inesperada de poder ter uma conversa com Oswaldo Cruz. Acesse aqui.

Já na sessão Cientista, é possível ver o lado detalhista e perseverante de Oswaldo enquanto pesquisador. O amor pela pesquisa começou cedo, ainda jovem. Já no segundo ano da Faculdade de Medicina iniciou atividades de ajudante no Laboratório de Higiene da instituição. A partir daí não parou mais. Oswaldo formou diversos cientistas para a saúde pública. A capacidade de despertar a “ânsia de saber” entre os discípulos era sempre destacada. Sempre com um lápis à mão, Oswaldo Cruz costumava ler tomando notas de tudo que considerava relevante. Se dedicou a estudar os mais diferentes temas no campo da saúde. Fotos, documentos, anotações e desenhos fazem parte dessa curiosa sessão. Confira aqui

 

O projeto

Há 100 anos, em 11 de fevereiro de 1917, o Brasil perdia Oswaldo Gonçalves Cruz. Filho devotado, pai e marido amoroso e “mestre” de voz branda, nascido em São Luís do Paraitinga, pequena cidade do estado de São Paulo, Oswaldo Cruz foi responsável por promover profundas transformações no país. Figura emblemática da Ciência nacional, ele inspira gerações mesmo um século depois de ter tido a sua vida precocemente abreviada por uma doença renal crônica, aos 44 anos de idade. 

Em homenagem ao seu patrono, o Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) desenvolveu um projeto especial que aborda sua vida e seu legado. Apresentando documentos de valor singular, gentilmente cedidos pela Casa de Oswaldo Cruz (COC/Fiocruz), o projeto "Oswaldo Inspira: 100 anos sem Oswaldo Cruz (1872-1917)" vai além da biografia do notável pesquisador, já largamente explorada. A partir de relatos de pessoas que conviveram diretamente com Oswaldo Cruz, é constituído um mosaico de aspectos que procura nos aproximar da figura multifacetada do homem guiado pelo lema de "fé eterna na sciencia". Clique aqui e confira.

A iniciativa apresenta documentos textuais e iconográficos, que incluem cartas, cadernos, livros, anotações, diplomas, premiações, recortes de jornais e fotografias. Em especial, traz a público um acervo inédito que estava sob guarda do neto de Oswaldo Cruz, o também médico Eduardo Oswaldo Cruz, falecido recentemente: álbuns que mostram a paixão do cientista pela fotografia. Registros da temporada com a família em Paris, na virada do século 19 para o século 20, e de cenas do cotidiano estão entre as imagens fotografadas pelo próprio Oswaldo. 

Da infância à entrada e formação abreviada na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro, passando pelo casamento, filhos, viagens e trabalho, o projeto faz um passeio pela vida de Oswaldo Cruz. À linha do tempo do jovem tímido e recém-formado se acrescentariam em apenas duas décadas: cientista, diretor geral de Saúde Pública, responsável pelo controle da varíola, febre amarela e peste bubônica e membro da Academia Nacional de Medicina, da Academia Brasileira de Letras e da renomada Sociedade de Patologia Exótica, da França. À relevância de Oswaldo também são acrescidos a função de primeiro presidente da Cruz Vermelha Brasileira, de prefeito de Petrópolis, cidade da Região Serrana do Rio, além de líder de um instituto de pesquisa que leva seu nome, mantendo o princípio de fazer ciência direcionada para a realidade do Brasil. 

Em conjunto às galerias de imagens, infográficos e conteúdos sobre a biografia do cientista e relatos sobre Oswaldo, o projeto conta com seções que traduzem um pouco da sua história e do seu legado, a partir dos tópicos Raro, Lar, Fotografia, Manguinhos, Cientista, Gestor, Despedida e Herança.

O hotsite Oswaldo Inspira: 100 anos sem Oswaldo Cruz (1872-1917) será atualizado ao longo de fevereiro, mês que marca o centenário de morte do cientista, trazendo ainda mais detalhes, curiosidades e informações sobre este brasileiro que, de criticado devido à implementação de medidas impopulares de saúde pública, se converteu em um herói nacional. Acompanhe em www.ioc.fiocruz.br/oswaldoinspira.

 

  • mar 3 2017